Flamengo 1 x 2 Peñarol (Vice da Taça de Montivideo)




Flamengo e Peñarol fizeram um pequeno torneio amistoso conhecido como Taça de Montivideo, em um jogo no Estádio do Peñarol. O resultado? MAIS UM VICE para o Flamengo (até em torneios amistosos o Flamengo é vice).



Texto abaixo retirado de: http://peladasdoaterro.blogspot.com.br/2006/02/pearol-2-x-1-flamengo.html

"Já começo meu texto alertando aos rubro-negros que 2006 será mais um ano de sofrimento. Mas vamos ao jogo.

O Peñarol, um time que está se formando agora, começou melhor, concentrando seus ataques pelo meio e aproveitando o fraco miolo de zaga do time do Flamengo. É impressionante a capacidade dos zagueiros rubro-negros quererem entregar o jogo. Ronaldo Angelim é fraco e o Fernando... pelo amor de Deus! Ele só baixa o sarrafo, faz cara de mau e se acha craque. Realmente ele prova minha teoria na qual penso que alguns seres-humanos nasceram virados com o brioco pra lua. Ou o cara tem um padrinho muito forte.

Até os 10 minutos o Flamengo não fez mais nada além de bater. E nesses momentos iniciais, destaque pro Fernandão que aos 8 deu um carrinho de frente na canela de um uruguaio. E nem sombra de amarelo.

O Peñarol tentava e o Fla só fazendo ligação direta para o ataque. Meio de campo nem pensar. A bola saía da defesa carioca em belos chutões para o alto. E nisso ficava o Ramirez correndo pela esquerda e o Felipe Gabriel pela direita.

Aos 15, o Penãrol cruza da direita, a defesa mãe do Fla tenta entregar com Leo Moura cabeceando para o meio da área. Fernando fica matando barata no chão dando chance para o atacante uruguaio matar, virar e bater fraco; Diego fica olhando e a bola bate na trave.

O time brasileiro continua pedindo pra tomar o gol, e ele acontece numa falta cobrada na intermediária pelo 20 uruguaio. Diego pula atrasado e a pelota morre no fundo do barbante. Peñarol 1 X 0 aos 17 minutos.

A partir daí vemos o estilo criado pelo Flamengo e jogado pelo mundo inteiro: o Tocabol. O objetivo deixa de ser o gol e vira simplesmente tocar a bola. Um bando de homens barbados correndo atrás da redonda como se fossem a noviça rebelde.

E numa dessas espirradas, Jonatas, aos trancos e barrancos, vai carregando a bola até a meia lua e dispara: bola pra fora.

A essa altura (+- 27 min) o Mengão continua seu estilo "ditadura" - baixando o sarrafo. Os uruguaios, acostumados à arte de bater, ficaram impressionados com o estilo brasileiro e resolveram olhar pra ver se reciclavam seus pontapés. Apesar deste vale-tudo carioca, impressionantemente Jonatas tentava alguma coisa e era o melhor do time.

Aos 29 min., um lance à la Obina: F. Gabriel cruza da direita e Ramirez, num lance puro de tocabol, pula igual a um aqualouco. A bola bate no joelho do paraquaio e vai para fora.

Faltando pouco tempo para terminar a 1ª etapa o Flamengo continua no seu estilo "puxador" de carro: só fazendo ligação direta. E com isso vai conseguindo uns escanteiozinhos obviamente mal aproveitados. E num desses, Peralta, craque uruguaio endeusado pela diretoria rubro-negra -"Seu estilo lembra muito o de Maradona!"- cobra direto para linha de fundo.

Aos 40 min - após um penâlti não marcado para o Penãrol - o vermelho e preto estica uma bola da esquerda para a direita, Felipe Garbriel recebe, avança, corta pra dentro e chuta com a canhota encobrindo o goleirão: golaço de empate do Flamengo.
Terminando o jogo, Fernando recebe uma beliscada na canela e manda o uruguaio tomar caju. Fim do 1º tempo.

Começa a 2ª etapa e Diego Souza entra no lugar do Peralta.Com isso, até os 15 min., Renato substitui peralta na chegada do ataque, encostando em Ramirez que agora cai mais pelo meio. F. Gabriel joga mais atrás pela meia-esquerda. O Flamengo vem melhor na metade final do jogo (igual ou pior seria impossível) e começa a tocar melhor a bola. Jonatas continua o melhor. E o Penãrol chega em contra-ataques com Ronaldo e Fernando batendo cabeça.

À medida que o tempo vai passando, o Ramirez volta pra esq., F. Gabriel dá uma apagada e Diego Souza fica enrolando, perdendo a bola, errando passe e tentando uns chutinhos de longe pela esquerda. Já se vão uma hora e cinco de tortura em frente a TV.

Aos 25 minutos, o craque uruguaio - um careca gordo que joga na cabeça de área - é expulso e incrivelmente o Peñarol melhora. Seus jogadores correm mais, lutam e passam a ameaçar o Flamengo. O time carioca se perde e volta ao seu belo estilo "Tocabol". Numa dessas ótimas encostadas na peloda, Fernando toma seu primeiro amarelo aos 30 do 2º tempo. Isso mesmo: aos 30 do 2º tempo. Já era para ele tomar vermelho no 30 de Janeiro, mas...

O tempo vai passando e o time uruguaio dominando. Consegue 4, 5, 6 escanteios e nada. Até que aos 38, Espinosa tira o melhorzinho do Flamengo (Jonatas que adora variar um passe com um cascudo) e bota o craque Rodrigo vindo do Payssandu.

"- O Flamengo é o favorito na Taça Rio." Tá bom, presidente.

Aos 40 minutos, os jogadores do Flamengo percebem que ganham R$100 mil por mês e resolvem levar a partida para os penâltis. Só esqueceram de avisar aos uruguaios. Aos 46, no apagar das luzes, os donos da casa desempatam com um gol de cabeça. Final Peñarol 2 X 1.

Resumo da ópera: O time do Peñarol é muito ruim, mas o Flamengo consegue se superar a cada ano."

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Cinco/Quatro Rebaixamentos que o Flamengo não pagou

Flamengo pode ser rebaixado com o doping de Guerrero?!

Flamengo empata com o Botafogo e continua sendo o PIOR DO RIO no Campeonato Brasileiro